Hello Research | 10 sinais de que a Crise chegou ao Natal
17052
page,page-id-17052,page-template-default,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-7.2,wpb-js-composer js-comp-ver-4.5.1,vc_responsive
 

10 sinais de que a Crise chegou ao Natal

2015 foi o ano da crise no Brasil. Nós sofremos com a recessão econômica, com a estagnação política e com inflação, desemprego, corrupção e até com um rio de lama. Enfrentamos tudo isso com coragem e estamos preparados para o golpe final: a falta de presentes. Veja 10 resultados da Pesquisa de Natal da Agência Hello Research que mostram que a Crise chegou com tudo à data mais querida do calendário:

Mãos abanando
41% dos brasileiros não vão comprar presentes este ano. Em 2013, eram 18%.

O Estudo de Natal Hello Research indica que, em 2015, a cada dez pessoas quatro não esperam comprar nenhum presente. No ano passado, eram três a cada 10 pessoas e, em 2013, apenas duas. Isso quer dizer que passados dois anos, mais que dobrou o número de consumidores que não vão comprar presentes para ninguém…

 “É só uma lembrancinha…”
Para os 59% que vão às compras serão poucos presentes: um ou dois.

Em 2014 o brasileiro ia presentear pelo menos 2 pessoas. Mas em 2015 não vai ser todo mundo que poderá sair distribuindo presentes por aí: a intenção caiu 34% e agora a média é de 1.5 presenteados por consumidor.

Até tu?
Pais ficaram praticamente defora da lista de presentes. Mães perderam o 2º lugar.

Filhos, fiquem tranquilos. Vocês ainda serão os mais presenteados. O Estudo de Natal Hello Research perguntou quem seriam os presenteados e 30% responderam Filhos, 20% Marido/Esposa, 16% Mãe, 10% Outros Familiares e só 8% os Pais. Até o ano passado, a Mãe era a segunda figura da família mais presenteada com 1/3 das respostas.

De calças curtas
Presentes de Moda e Acessórios ainda dominam. Mas caíram 19%.

Para não deixar os filhos sem presentes, Brinquedos foi a única categoria que não caiu: 28% dizem que vão comprar algum. Moda e Acessórios ainda é a categoria mais procurada, mas em um ano caiu da declaração de 69% dos consumidores para 56%. As outras categorias mais procuradas, Beleza e Perfumaria e Eletrônicos, também sofreram quedas: 41% e 70%. Quando vemos a intenção de compra pelo sexo dos entrevistados, a declaração de mulheres que vão comprar presentes de Moda e Acessórios teve uma queda de 28% e entre os homens que vão comprar Eletrônicos caiu ainda mais bruscamente: 73%.

Quer pagar quanto?
A média de gasto com presentes caiu 12% em um ano.

70% dizem que vão gastar menos ou o mesmo de 2014. A maior parte dos consumidores quer gastar entre R$100,00 e R$200,00 com as compras. Na média geral, o valor ficou em R$302,45. No ano passado, era R$344,29. A média de gastos da classe D/E é praticamente 50% da média da classe A/B que ficou em R$422,14 reais.

Sai dívida!
78% dos consumidores vão comprar em dinheiro vivo.

O brasileiro já está endividado demais e não pretende que os gastos com as compras de Natal afetem o orçamento do ano que vem. Além de 78% dizerem que vão comprar tudo à vista, só um em cada dez consumidores pretende comprometer o 13º salário com as compras de Natal.

E o Quico?
Só metade dos consumidores vai comprar presentes pra si.

A Hello Research também levantou o interesse das pessoas em fazer comprar para elas mesmas ou para a casa. 50% não pretendem fazer um agradinho a si próprio nesse Natal, uma queda de 18 pontos percentuais em relação ao Natal passado.

No olho da crise
No Sudeste, a coisa vai ser ainda pior.

Em 2013, 83% dos moradores do Sudeste estavam dispostos a comprar presentes de Natal. No ano passado eram 75%. Em 2015 essa caiu ladeira abaixo: só 53% dos moradores da região estão pensando em gastar com presentes. É a maior queda entre todas as regiões. O pessoal do Sudeste também é o que vai fazer menos compras para si: só 43%.

Peru ou tender?
Na Ceia a regra também é economizar.

Na noite de Natal deste ano, 64% das pessoas pretendem gastar o mesmo ou menos do que gastaram com a ceia do ano passado. Quase 1/3 dos entrevistados, 27 %, disse que não pretende gastar nada com os preparativos do Natal.

Noite Feliz
Tempos de crise: tempo de união.

Mas, não importa o número de presentes ou a quantidade de comida. Natal é momento de família, na crise ou na abonança. 60% dos brasileiros vão passar o Natal na companhia dos filhos. 51% disseram Marido e Esposa e 43% poderão passar com as mães.